Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hela | Moda e tendências

Um olhar diferente sobre a moda. ✨ Aqui falamos de moda, tendências, opiniões e muito mais.

01
Out19

O melhor de setembro

Tita Vicente

Com outubro a começar decidi fazer um balanço do meu mês de setembro. Para mim setembro é – e sempre será – mês de recomeços. Habituei-me a esta ideia nos meus tempos de estudante e confesso que gosto desta ideia de ter um mês para reorganizar os objetivos que me tinha proposto a fazer para este ano.

Setembro foi sem dúvida alguma marcado pelo desafio #setembrosemcarnept. Quando iniciei este desafio não sabia que iria ser tão “fácil”. Sempre fui uma pessoa muito apegada a comer carne – mentalidades e coisas a que nos vamos habituando como regra – e confesso que sempre pensei que não iria conseguir cumprir, que iria acabar por desistir e deixar o projeto a meio. Mas como tudo na vida o meu truque foi lançar o desafio para o mundo para sentir que as pessoas me iam “cobrar” caso eu não falasse do assunto ou falhasse. Contei aos meus amigos e família, avisei o meu colega de casa e, por fim, expus aqui no blogue a ideia e confesso, acho que foi crucial para ter cumprido este desafio quase com distinção. Falhei algumas refeições como já referi aqui, umas quatro vezes penso, mas nada comparado ao que eu achei que poderia acontecer. O plano agora é continuar a fazer o desafio, ou melhor transformá-lo em rotina.

Outro ponto alto do meu mês de setembro foi iniciar uma nova série. Para quem não sabe, ou segue este cantinho há pouco tempo, eu sou viciada em séries, são o meu hobby preferido. Este mês comecei a ver uma série que já estava na minha lista há vários meses, mas que ainda não tinha tido coragem de iniciar pois toda a gente dizia que requeria um estofo emocional e uma preparação psicológica muito boa. This is us não é uma série para qualquer um se já tivermos passado por alguma das situações ali interpretadas. É uma série com uma carga emocional um pouco grande e que nos pode fazer chorar como bebés em segundos (e olhem que eu não choro por qualquer coisinha). Não irei adiantar muito, pois quero dedicar um post inteiro a esta série que tanto mexeu comigo, mas quero acabar primeiro a terceira temporada que já está totalmente disponível e depois sim fazer o post.

Estes dois foram sem dúvida o ponto alto do meu mês de setembro. De resto foi um mês normal, com passeios nas pausas do trabalho e com um último dia de praia à mistura. Qual é o balanço do vosso mês?

23
Set19

Depois da “polémica” uma pausa

Tita Vicente

Quando escrevi a minha opinião sobre a polémica do que tinha acontecido com a Maria Vaidosa não esperava que o texto tivesse tanto impacto na comunidade, nem tão pouco a enchente de comentários e visitas. A maioria das críticas foram boas e sobretudo extremamente construtivas. Foi um debate incrível, mas que me deixou a pensar muito sobre o impacto do que tinha produzido.

Apesar de muita gente ter achado que eu tinha feito o conteúdo porque sabia que ia ser falado, não foi de todo essa a intenção com que o produzi. Mas isso deixou-me a pensar: será que existem por aí pessoas que criam conteúdo apenas porque sabem que será destaque? Será que não se importam verdadeiramente com o assunto que estão a partilhar? Eu quero acreditar que as pessoas produzem conteúdos sobre o que se identificam, sobre assuntos que gostam.

Quando vocês produzem conteúdos no que pensam?

 

PS: Depois desta pequena pausa, espero que este seja o texto de reentrada na rotina normal.

10
Set19

Datas importantes para comemorar

Dois anos de Lisbonita.

Tita Vicente

Há dois anos mudei de vida. Mudei de casa, mudei de sonhos, mudei enquanto pessoa. Escolhi trocar a cidade que me acolhia como casa, deixei os meus pais e fui viver "sozinha", com amigos no mesmo sítio para onde eu iria e um sonho gigante para concretizar. Em dois anos eu mudei muito. Os meus gostos, as minhas vontades, os meus sonhos, os meus objetivos. Hoje sou uma pessoa diferente. Sou mamã do Kikinho, mudei de casa, mudei de emprego e tantas outras coisas.

Esta tem sido uma das experiências mais desafiantes da minha vida. Já pensei em desistir, mas também já tive dias em que senti que foi a melhor decisão que podia ter tomado. Têm sido dois anos de pura e dura aprendizagem, de descoberta pessoal. Aprendi a gerir-me a mim, as minhas contas e uma casa. Aprendi que as coisas não aparecem feitas se nós não nos esforçarmos para as fazer. Aprendi que ter amigos que são família é o melhor conforto do mundo. Que voltar a casa é dar descanso à alma.

Lisboa ensinou-me muito. Que continues a surpreender cada vez mais Lisbonita.

24
Ago19

A beleza do gerês

Portugal é muito mais que grandes cidades.

Tita Vicente

Há precisamente uma semana atrás, a esta hora, estava no “pequeno” paraíso português que é o Gerês. É provável que não fosse para aquela zona do país há uns 10 anos, mas sempre foi uma zona que quis voltar porque acho que têm paisagens incríveis e que dá 10 a 0 ao Algarve, por exemplo, na minha opinião.

Fui um dia de manhã, bem cedo – o que em agosto é essencial – para a zona do Soajo. Fui a uma primeira “lagoa”, muito calma, da água mais cristalina que vi nos últimos tempos. Era fria, mas também não se podia esperar o mar do algarve de uma nascente de água da serra. Passamos a manhã nessa lagoa e apenas tivemos de dividir espaço com mais dois grupos o que foi divinal. Deu para aproveitar muito bem a lagoa, fazer as nossas palhaçadas e apanhar o nosso sol sem nos sentirmos apertados.

Na hora de almoço escolhemos um restaurante/café local. Sabem a maravilha que é para alguém que está habituado ao custo de vida de Lisboa pagar 6€ por uma refeição completa e de qualidade? Senti-me no céu praticamente. Eu pedi uma omelete mista, mas os meus amigos pediram uma pizza e eu confesso que me arrependi de não ter pedido porque tinha muito bom aspeto e cheirava muito bem.

De seguida fomos para o Poço Negro, que já estava bastante mais lotado. Lá arranjamos espaço para as nossas coisas e depois decidi fazer um pequeno momento de Dora a exploradora e seguir umas pessoas que estavam a caminhar – literalmente – para o meio da natureza e não podia ter sido uma decisão mais acertada. Sempre que parei para admirar a beleza do sítio perguntei-me o porque de não ter ali o meu telemóvel ou uma máquina para registar o momento, o que me fez refletir sobre a importância que damos hoje em dia a registar os momentos para além de na nossa mente.

Antes de vermos os nossos planos do dia virados do avesso ainda fomos a um miradouro onde tem a torre da proteção civil a controlar os incêndios e houve tempo para me sentir minúscula no meio daquele mar de verde enorme que é o Gerês. Falei em planos trocados porque a ideia inicial era acampar e no dia seguinte explorar outras zonas, mas o tempo não ajudou e acabamos por decidir vir dormir a casa, neste caso ao Porto.

Fiquei com imensa pena de a viagem ter sido tão curta, mas com a certeza de que quero muito voltar a passar mais tempo. Fez-me bem estar num sítio sem quase rede de 4G o que me obrigava a ser socialmente ativa com os meus amigos. Adorei ver todas aquelas paisagens, respirar ar puro e sair da confusão e do ritmo de vida frenético que se adquire por se viver em cidades tão grandes como é o caso de Lisboa. Cada vez mais dou valor aos momentos em que estou longe da confusão e do mundo online.

 

WeChat Image_20190822120148.jpg

Vista do miradouro de vigilância. (Foto tirada por mim)

 

Pequeno disclaimer final, peço desde já desculpa, mas não sei o nome, nem tão pouco localizar a maioria dos locais que visitei, mas se alguém estiver interessado, posso tentar que os meus amigos me arranjem uma localização precisa.