Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hela | Moda e tendências

Um olhar diferente sobre a moda. ✨ Aqui falamos de moda, tendências, opiniões e muito mais.

13
Dez19

Consegui o meu maior objetivo de 2019

Este desejo fazia parte da minha lista há vários anos.

Tita Vicente

Estou meia doente e vou usar isto como desculpa para estar mais ausente (vou sim porque eu posso). Esta semana quis fazer algo um bocadinho diferente aqui no blogue como já devem ter reparado. Substitui o tema primordial: moda por assuntos que gosto de debater com outras pessoas, uma espécie de chill talks. Se vocês não conhecem este tipo de vídeos corram para o YouTube porque são muito bons e deixam-nos a pensar sobre imensos assuntos.

Confesso que durante a noite me custou a adormecer e pensei num tema hiper mega bom, que obviamente não apontei e é claro que me esqueci, porque pronto, lei da vida. No entanto durante o dia fui vendo que as pessoas já começam a fazer um balanço do seu ano, mesmo o mês ainda só estando a meio e que já começam a planear todas as metas para 2020. O meu feed já saltou o espírito natalício e já está em modo total de coisas a fazer em 2020. E eu fiquei a pensar no que conquistei este ano, em todas as metas que realizei, naquelas que deixei para trás, etc. (Este não vai ser o meu balanço formal ainda, mas é um pré-balanço)

Este ano eu tinha um objetivo muito grande: viajar. Há anos que fazia parte da minha lista e as viagens não passavam da Suíça e por muito giro que seja e eu adore ir lá ver a minha família eu queria mais. Eu queria muito mais e foi isso que fiz em 2019. Duas viagens à Suíça, uma a Barcelona outra a Madrid e um pulinho a Valência. Ainda houve tempo para conhecer Sofia, na Bulgária e várias cidades da Roménia, sobretudo a Transilvânia. Ainda houve tempo para regressar um fim de semana ao Gerês e visitar imensas praias novas perto de Lisboa. Foi um bom ano. Sobretudo se pensar que passei de conhecer apenas um sítio fora do nosso querido Portugal para conhecer dezenas de cidades novas.

Tudo isto só me deixou ainda com mais vontade de conhecer o mundo. Por isso, é claro que na meta de 2020 continua a haver um cantinho para viagens e algumas delas já estão até a ser planeadas! Contudo, ainda não conheci a cidade dos meus sonhos – que para quem anda mais distraído é Nova Iorque – e espero que 2020 seja o ano que me irá mostrar esta cidade com a qual me sinto tão conectada mesmo sem conhecer.

TitaNoAvião.jpgFoto tirada por uma amiga minha

E vocês, qual foi o objetivo que tinham proposto para 2019 e que conseguiram tornar realidade?

24
Ago19

A beleza do gerês

Portugal é muito mais que grandes cidades.

Tita Vicente

Há precisamente uma semana atrás, a esta hora, estava no “pequeno” paraíso português que é o Gerês. É provável que não fosse para aquela zona do país há uns 10 anos, mas sempre foi uma zona que quis voltar porque acho que têm paisagens incríveis e que dá 10 a 0 ao Algarve, por exemplo, na minha opinião.

Fui um dia de manhã, bem cedo – o que em agosto é essencial – para a zona do Soajo. Fui a uma primeira “lagoa”, muito calma, da água mais cristalina que vi nos últimos tempos. Era fria, mas também não se podia esperar o mar do algarve de uma nascente de água da serra. Passamos a manhã nessa lagoa e apenas tivemos de dividir espaço com mais dois grupos o que foi divinal. Deu para aproveitar muito bem a lagoa, fazer as nossas palhaçadas e apanhar o nosso sol sem nos sentirmos apertados.

Na hora de almoço escolhemos um restaurante/café local. Sabem a maravilha que é para alguém que está habituado ao custo de vida de Lisboa pagar 6€ por uma refeição completa e de qualidade? Senti-me no céu praticamente. Eu pedi uma omelete mista, mas os meus amigos pediram uma pizza e eu confesso que me arrependi de não ter pedido porque tinha muito bom aspeto e cheirava muito bem.

De seguida fomos para o Poço Negro, que já estava bastante mais lotado. Lá arranjamos espaço para as nossas coisas e depois decidi fazer um pequeno momento de Dora a exploradora e seguir umas pessoas que estavam a caminhar – literalmente – para o meio da natureza e não podia ter sido uma decisão mais acertada. Sempre que parei para admirar a beleza do sítio perguntei-me o porque de não ter ali o meu telemóvel ou uma máquina para registar o momento, o que me fez refletir sobre a importância que damos hoje em dia a registar os momentos para além de na nossa mente.

Antes de vermos os nossos planos do dia virados do avesso ainda fomos a um miradouro onde tem a torre da proteção civil a controlar os incêndios e houve tempo para me sentir minúscula no meio daquele mar de verde enorme que é o Gerês. Falei em planos trocados porque a ideia inicial era acampar e no dia seguinte explorar outras zonas, mas o tempo não ajudou e acabamos por decidir vir dormir a casa, neste caso ao Porto.

Fiquei com imensa pena de a viagem ter sido tão curta, mas com a certeza de que quero muito voltar a passar mais tempo. Fez-me bem estar num sítio sem quase rede de 4G o que me obrigava a ser socialmente ativa com os meus amigos. Adorei ver todas aquelas paisagens, respirar ar puro e sair da confusão e do ritmo de vida frenético que se adquire por se viver em cidades tão grandes como é o caso de Lisboa. Cada vez mais dou valor aos momentos em que estou longe da confusão e do mundo online.

 

WeChat Image_20190822120148.jpg

Vista do miradouro de vigilância. (Foto tirada por mim)

 

Pequeno disclaimer final, peço desde já desculpa, mas não sei o nome, nem tão pouco localizar a maioria dos locais que visitei, mas se alguém estiver interessado, posso tentar que os meus amigos me arranjem uma localização precisa.

06
Mai19

Gastar dinheiro a conhecer o mundo

Tita Vicente

Sempre que tive um blog lembro-me que era sagrado no início do ano fazer uma publicação com as minhas metas. Todos os anos repeti uma meta cliché: viajar. O bichinho das viagens “picou-me” aos 16 anos quando fiz a minha primeira viajem. Fui visitar a minha família que vive na Suíça, mas lembro-me como se tivesse sido ontem a sensação de voar. Desde aquela viagem todos os anos, pelo menos uma vez por ano, embarcava no avião sempre para o mesmo destino, mas com a promessa de que um dia o destino seria diferente. 
2018 foi o ano que virou a minha vida de pernas para o ar. Tudo mudou, menos a vontade de conhecer o mundo. Na meia-noite da passagem de ano prometi a mim mesma que 2019 iria viajar o máximo que conseguisse, para o máximo de sítios diferentes possíveis. Não iria priorizar o meu consumismo, não iria ser “extremista” nas minhas poupanças, iria só viajar, conhecer um bocadinho mais do mundo. Hoje, já conto com mais três cidades riscadas do mapa-mundo. Barcelona, Madrid e Valência — sim, Espanha foi o país de eleição — foram as primeiras viagens do ano. A elas ainda se vão juntar mais cidades, mais países e, sobretudo, culturas muito diferentes. 
Nunca me senti tão feliz e tão realizada a gastar dinheiro como com aquele que tenho utilizado para viajar. Mal posso esperar por conhecer todos os meses mais um bocadinho do mundo. 

Já agora, gostavam de ver algo do género diário de bordo sobre as viagens que fiz/irei fazer?

 

WeChat Image_20190506114427.jpg

Fotografia tirada por mim